SÃO GOTARDO-MG – DIOCESE DE PATOS DE MINAS

Mensagens

DÁ-ME SENHORA, MÃE DE DEUS

Maio de 2012

Um pouco da tua força…para a minha fraqueza

Um pouco da tua coragem…para o meu desalento

Um pouco da tua compreensão…para o meu problema

Um pouco da tua plenitude…para o meu vazio

Um pouco da tua rosa…para o meu espinho

Um pouco da tua certeza…para a minha dúvida

Um pouco do teu sol…para o meu inverno

Um pouco da tua disponibilidade…para o meu cansaço

Um pouco do teu rumo infinito…para o meu extravio

Um pouco da tua neve…para o meu barro

Um pouco da tua serenidade…para a minha inquietude

Um pouco da tua chama…para o meu gelo

Um pouco da tua luminosidade…para a minha noite

Um pouco da tua alegria…para a minha tristeza

Um pouco da tua sabedoria…para a minha ignorância

Um pouco do teu amor…para o meu rancor

Um pouco da tua pureza…para o meu pecado

Um pouco da tua vida…para a minha morte

Um pouco da tua transparência…para o meu escuro

Um pouco do teu filho Deus…para teu filho pecador

Um pouco do seu ser MÃE… para que eu possa ser mãe

Com todos esses “poucos”, Senhora, eu terei  TUDO.


NILZE MARIA ORTEGA

DEUS

Março de 2012

Deus, passei tanto tempo Te procurando.
Não sabia onde estavas, olhava para o infinito e não Te via.
E pensava comigo mesmo: será que Tu existes?

Não me contentava com a busca e prosseguia.
Tentava Te encontrar nas religiões e nos templos,
Tu também não estavas.

Te busquei através dos sacerdotes e pastores,
Também não te encontrei.

Senti-me só, vazio, desesperado e descri.
Na descrença, Te ofendi.
Na ofensa, tropecei.

No tropeço, caí.
Na queda, senti-me fraco.

Fraco, procurei socorro.
E no socorro, encontrei amigos.
Nos amigos, encontrei carinho.
E no carinho eu vi nascer o amor.
Com amor, eu vi um mundo novo

E no mundo novo, resolvi viver.
O que recebi, resolvi doar.
Doando alguma coisa, muito recebi.
Recebendo, senti-me feliz.

E ao ser feliz, encontrei a paz.
Tendo a paz, foi que enxerguei que dentro de mim é que Tu estavas.
E sem procurar-Te, foi que Te encontrei.

 AUTOR DESCONHECIDO

CRIANÇA…

Outubro de 2010
Desde o pequeno ser no útero da mãe já nos traz esperanças e sonhos de um mundo melhor…

CRIANÇA…

Anjo em nossas vidas. Às vezes aprendemos mais que ensinamos…

CRIANÇA…

Inocente, sem maldade e sem malícia. Sorriso fácil que não guarda mágoa, que perdoa rápido…

CRIANÇA…

Seja simplesmente criança, não tenha pressa de crescer. Continue com sua pureza, com sua beleza…

CRIANÇA…

Brinque, corra, sorria, aproveite sua família, seus amigos, sua escola…

CRIANÇA…

Aproveite cada minuto, cada segundo. Não olhe tanto para o futuro…

CRIANÇA…

Continue trazendo alegria para nossas vidas. Você é como um raio de luz que ilumina nossos caminhos.

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS…

CRISTIANE OLIVEIRA MELO – AGENTE DA PASCOM


SÃO GOTARDO, 95 ANOS: PARABÉNS!

Setembro de 2010

Antes pequenina… Hoje uma das cidades que mais cresce… ‘êêê’ São Gotardo.

São Gotardo, terra de diversos povos e grande riqueza na agricultura. Uma cidade acolhedora, aonde quem chega já se sente em casa e não quer mais sair; a cada ano que passa tem se desenvolvido cada vez mais, detendo uma das maiores taxas de crescimento populacional de toda a região do Alto Paranaíba.

No dia 30 de setembro nossa cidade querida completa 95 anos, com expectativa maior, a cada ano, de crescimento.

Parabéns São Gotardo!

WANDERSON DE OLIVEIRA – AGENTE DA PASCOM

divisoria

SETEMBRO, MÊS DA BÍBLIA 2010

JONAS: CONVERSÃO E MISSÃO

Setembro de 2010

O mês de setembro se tornou o mês-referência de um despertar mais atento para o estudo, a vivência e o testemunho da Bíblia, a Palavra de Deus.

Este é o 39º ano que a Igreja celebra o mês da Bíblia. Para 2010 o livro de Jonas foi escolhido, com o objetivo de ajudar o povo de Deus a cumprir o anseio do último Sínodo (assembleia de bispos do mundo todo, presidida pelo papa), que destacou o mandato missionário de todo cristão como consequência do batismo.

Através do livro de Jonas, Deus faz o mesmo apelo que fez ao profeta: “Levanta-te e vai à grande cidade” (Jn 1,2) viver uma vida missionária, denunciando as injustiças e proclamando a misericórdia divina. Esta passagem bíblica é o lema para 2010.

Os temas propostos para estudos: fuga da missão; conversão dos marinheiros; retomando o caminho; vá a Nínive, a grande cidade; conversão dos pagãos; irritação do profeta; a pedagogia de Deus.

FONTE: INTERNET

divisoria

NÃO SÓ DE PÃO VIVE O HOMEM,

MAS DE TODA A PALAVRA QUE PROCEDE DA BOCA DE DEUS…”

Setembro de 2010

A Bíblia é o livro dos livros.

Muitas pessoas dizem que não lêem a Bíblia por não entendê-la. Mas a Bíblia é como um coco, se não abrirmos nunca saberemos o que tem dentro dela, e assim também não saberemos as maravilhas que ela contém. Abrindo-a, mergulhamos num mundo de maravilhas (que é a Palavra de Deus), no conforto que ela traz para as nossas vidas, e como fortalece a nossa fé. Por isso é necessário mergulharmos nela para descobrirmos as riquezas que ela nos traz.

Neste mundo em que vivemos, onde quase não se consegue separar do celular e do computador, deveríamos fazer o mesmo com as nossas Bíblias e não nos separarmos delas nunca. Façamos que ela também seja de grande importância nos nossos lares e na vida de nossas famílias. Enriquecemo-nos mais e mais com o acolhimento da Palavra de Deus – semente que produz frutos nas nossas vidas.

Assim, neste mês de setembro, em que lembramos a Bíblia, fica um convite especial para nos tornarmos pessoas mais íntimas das palavras deste sagrado livro. Seria bom que cada família tirasse um pouquinho do seu tempo, que parasse alguns minutos da correria do dia a dia, para juntos lerem e meditarem as belas mensagens que Deus deixou para cada um de nós.

“Quando o cristão se torna um ‘homem da Palavra’, transforma-se num ‘homem de palavra’, em alguém voraz, fiel discípulo. A Palavra toca o ouvido, por isso precisamos ter ‘ouvidos de discípulos’. Do ouvido, a palavra desce ao coração e faz do leitor um ‘enamorado da Bíblia.” (Dom Orlando Brandes, Jornal Missão Jovem).

CRISTIANE OLIVEIRA MELO – AGENTE DA PASCOM

divisoria

NOSSOS PAIS

Agosto de 2010

Ser pai é ser companheiro, é ser herói, é ser fonte de vida…

Ser pai é ser o porto seguro, é ser a mão amiga…

Ser pai é ser corajoso, é ser o abraço que acalma…

Ser pai é tudo isso e muito mais.

Ser pai é algo especial, que requer cuidado e atenção.

Ser pai é simplesmente dar amor incondicional.

FELIZ DIA DOS PAIS!

divisoria

DIA DO PADRE (4 de agosto)

Agosto de 2010

Ser padre é ser “pai” de uma comunidade inteira. Como tal, ele é o homem da palavra de Deus, da eucaristia, do perdão e da bênção; exemplo de humildade, penitência e tolerância; o pregador e conversor da fé cristã. Enfim, é um comunicador e entusiasta da Igreja, que luta por uma vivência cristã mais perfeita.

Lembramos também que, no dia 8 de agosto, comemoramos o dia do pároco.

Parabéns padre Antônio, padre Ronaldo e padre Orlando.

Muitas bênçãos e graças na caminhada sacerdotal dos nossos padres!

Cristiane Oliveira Melo – AGENTE DA  PASCOM

divisoria

NOSSAS MÃES

Maio de 2010

“Mãe: palavra pequena, mas com um significado infinito, pois quer dizer amor, dedicação, renúncia e si própria, força e sabedoria. Ser mãe não é só dar a luz, e sim participar da vida dos seus frutos gerados”.

Obrigado por termos vocês: nossas mães e Nossa Senhora.

Em homenagem às mães, a PASCOM entrevistou cinco mães. Perguntamos para elas como elas se sentem sendo mães.

1. Mãe negra (1 filho): sendo mãe me sinto maravilhosamente bem, muito feliz. É uma grande honra. Procuro sempre dar bons exemplos. Meu filho nunca deu trabalho, é um ótimo “menino” e muito saudável. Ela falou que adoeceu quando o filho estava para nascer, mas se doou por ele.

2. Mãe japonesa (2 filhos): falar do sentimento de ser mãe inunda minha alma de ternura e faz transbordar amor. Me faz sentir poderosa, completa e coberta por uma áurea de invencibilidade. Sinto que sou a barreira protetora a acolher meus filhos nos braços quando tropeçam, sou a mola que os impulsionam sempre, em buscas de ideais na vida. Sou a número 1 na fila, na platéia que se emociona, aplaude por pequeninas que sejam as vitórias. Agradeço a Deus, todos os dias, por esse dom divino: ser simplesmente mãe. Sou mãe, sou coruja e sou feliz.

3. Mãe jovem, de 17 anos (1 filho): eu me sinto feliz. Ser mãe é a melhor experiência da minha vida, porque é um dom divino. Só de acordar todos os dias e saber que tem um anjinho de Deus que precisa de você, já é uma razão a mais para querer viver.

4. Lázara, mãe de 2 filhos: me sinto muito feliz e satisfeita. Tenho orgulho dos meus filhos e agradeço a Deus por eles serem sadios e perfeitos.

5. Mãe idosa: eu me sinto muito feliz. Sou amada e protegida pelos meus filhos. Ter meus filhos foi uma bênção, e sempre peço a Deus que os ilumine.

PARABÉNS A TODAS AS MÃES. DEUS ABENÇOE VOCÊS.

PASCOM – SÃO GOTARDO

divisoria

ORAÇÃO DE AMOR A MARIA

(Maio – Mês Mariano)

Maio de 2010

Quando tive medo, encontrei abrigo em seus braços.

Quando me senti só, foi sua presença que me animou.

Quando quis desistir, senti que estava do meu lado.

Quando caí, pude ver os seus braços me levantando.

Quando chorei, vi que chorou junto a mim e depois enxugou minhas lágrimas.

Quando tive dúvidas, ouvi a resposta que deu ao meu coração.

Quando passei por decepções e sofrimentos, foi o meu consolo e o meu amparo.

Quando quis alguém perto de mim, senti suas mãos acariciando minha face.

Quando pensei que não iria conseguir, intercedeu por mim e me deu forças pra prosseguir.

Quando venci problemas e fiquei feliz, sorriu junto comigo e vibrou com minha alegria.

Quando me senti fraca, me deu o teu filho como meu alimento e minha fortaleza.

Em todos os momentos, quando me levanto ou me deito, eu sinto tua presença.

Encontro-te na singeleza de uma rosa, na ternura de uma criança e na doçura do mel. Encontro-te em tudo que há de mais belo neste mundo, em uma canção de ninar, no canto dos passarinhos e no sol que se põe.

Eu te encontro dentro de mim, pois sem ti, não sei o que é existir.

E eu te chamo de MÃE, de NOSSA SENHORA, de MINHA RAINHA, de MARIA, de MINHA MÃEZINHA DO CÉU.

Eu te Amo, e “não há nada pra comparar, para poder lhe explicar, como é grande o meu amor por ti”.

Ensina-me a ser como ti, ó mãezinha amada, a acreditar como acreditaste, a aceitar como aceitaste e a seguir as coisas de Deus como seguiste.

Que todos que se aproximarem de mim, possam sentir a sua presença, pois estás comigo todos os dias de minha vida.

Amém!

Autora: Michelly Resende Rodrigues Nasser – São Gotardo

divisoria

QUARESMA SE FOI: iremos retornar ao norMAL de nossas vidas?

Abril  de 2010

A cada ano, depois da Semana Santa, conscientes ou inconscientes, voltamos ao norMAL de nossos dias. E, mais triste ainda é a certeza de que, em muitos casos, a volta é para uma situação pior do que a anterior. Estarei sendo pessimista? Não! Basta olhar ao nosso redor, ler os sinais dos tempos, e comprovar que estamos vivendo em uma época de decadência. Por onde anda o tal do respeito? A religiosidade? A ética? A honra? A moral? A honestidade? A fidelidade? A tolerância? Estes, e outros mais, são valores em extinção.

Vejamos o que está escrito nos versículos 5 e 6, do capítulo 8 do Livro do Profeta Amós: “Quando passará a lua nova, para vendermos o nosso trigo, e o sábado, para abrirmos os nossos celeiros, diminuindo a medida e aumentando o preço, e falseando a balança para defraudar? (Compraremos os infelizes por dinheiro e os pobres por um par de sandálias.) Venderemos até o refugo do trigo.” Traduzindo: Quando passará a Quaresma e também a Semana Santa para  que possamos voltar a viver norMALmente?

Desde aquele tempo e também nos dias de hoje, a pessoa humana é atraída e seduzida por suas fraquezas e vícios. No início da Quaresma vem o arrependimento e o forte desejo de conversão. Cada um estabelece a sua penitência pessoal e, durante essa caminhada, as pessoas vivem de modo diferente: com os olhos voltados para Deus e na busca da salvação eterna. Uns deixam a bebida, o cigarro, alguns reduzem a alimentação. Outros se afastam dos jogos, deixam de assistir certos filmes e programas, evitam as maledicências, fogem de situações e ambientes suspeitos. Enfim, há um esforço para não cair no pecado e o sincero desejo de agradar a Deus. Porém, mal chega o Domingo de Páscoa – ainda na madrugada – muitos quebram o jejum bebendo, fumando, comendo e festejando de modo não cristão o fim da penitência. Para que serviu então os mais de quarenta dias de sacrifícios? Para nada! Absolutamente para nada, se não causou uma mudança real em nosso modo de vida!

A Páscoa, vivida de modo mais intenso nesse tempo proposto pela Igreja, vai muito além da celebração anual. A Páscoa é mais, muito mais, do que nossas festividades. A Páscoa verdadeira é uma opção de vida, um modo diferente de ser e existir. A Páscoa é um convite constante à conversão. Ela é um processo contínuo que nos leva a experimentar, a cada momento, o amor e a misericórdia de Deus. Somos convidados – todos os dias – a refazer o caminho que vai do deserto interior até o ponto mais alto, que é o momento da RESSURREIÇÃO. Páscoa – Passagem – é movimento progressivo; como a lagarta que se transforma em borboleta e não volta mais ao que era antes. A Páscoa autêntica é aquela que transforma nossas vidas numa constante celebração da Eucaristia. Pois, Eucaristia é Páscoa!

Vamos então, a cada dia, reavivar em nossos corações a alegria da RESSURREIÇÃO. Fortalecer em nós o fervor, alimentar nossa esperança e dar mais vida e sentido à nossa FÉ.

Para concluir faço um pedido: leia o capítulo 58 do livro do Profeta Isaías.

A você e a todos os seus, desejo uma Santa e Feliz Páscoa!

Ricardo Nunes

divisoria


PÁSCOA: passagem para uma vida nova

Março de 2010

A palavra “Páscoa” é de origem hebraica (Pessach) e significa passagem.

A Páscoa já era celebrada pelos judeus antes mesmo do nascimento de Jesus Cristo. Os judeus comemoram esse dia, desde há muito tempo, só que com outro sentido, o de liberdade, após anos de escravidão no Egito. Em contrapartida, para os cristãos, a Páscoa tem um significado especial e diferente, uma vez que celebra a ressurreição de Jesus Cristo e sua ascensão ao céu, dois dias depois da morte na cruz (Sexta-feira Santa).

Todos os cristãos sabem que Páscoa é o aniversário da ressurreição de Jesus. Muitos ignoram que Páscoa foi uma festa, uma grande festa, muito antes de Jesus no mundo.

O Evangelho, entretanto, nos convida a nela refletir, e não nos diz somente que cada ano Jesus ia a Jerusalém para a festa da Páscoa; ele não fala somente que a paixão, a morte e a ressurreição de Jesus tinham lugar durante as festas da Páscoa; ele nos mostra o Cristo ensinando seus discípulos que “sua hora”, era aquela da Páscoa: “Desejei ardentemente comer esta Páscoa convosco”. A Páscoa cristã saiu da Páscoa judaica, como de uma velha árvore sai um ramo cheio de seiva.

Cada ano, Jesus celebrava a festa da Páscoa e comia o cordeiro pascal. Mas ele sabia o que significava este alimento misterioso. Era Ele, o verdadeiro Cordeiro de Deus cujo sangue derramado sobre o madeiro da Cruz nos abriria o caminho do céu. Uma Páscoa, outra passagem o esperava (Lucas 22,7-20).

É o início da Páscoa de Cristo…    A nova Páscoa que se renova…

a) Uma preparação misteriosa. Na Quinta-feira Santa, com seus discípulos, ele toma a ceia pascal, pela primeira vez celebra a eucaristia. Ceia misteriosa também.

b) Uma situação desesperadora. Na Sexta-feira Santa, depois de uma agonia, dois processos: a flagelação, o coroamento de espinhos e a pregação na cruz. Ele morre. Todas as esperanças desaparecem. Tudo parece perdido.

c) Um milagre sem precedente. Mas na manhã da Páscoa, Jesus ressuscitou. Ele só passou pela morte para entrar na vida. Passou agora da morte à vida, da vida do tempo àquela da eternidade, da escravidão para a liberdade, do sofrimento para a alegria, da terra dos ídolos àquela de seu Pai, do exílio à Pátria. Esta passagem, esta Páscoa de Cristo, é a verdadeira Páscoa. A Páscoa antiga não é senão figura da nova Páscoa.

Fonte de pesquisa:Internet – Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa, CS; Pe. Wagner A. Portugal.

Texto adaptado por João Carlos C. Oliveira

divisoria


QUARESMA

Fevereiro de 2010

A Igreja celebra a salvação humana fazendo memória de tudo o que Deus fez na caminhada histórica do povo de Israel, tendo em vista a salvação de toda a humanidade. A cada celebração da história de Deus com o ser humano esta mesma ação torna-se presente no hoje de nossas vidas e nos são concedidas as mesmas graças oferecidas ao povo no passado.

Nós, como Igreja, quando celebramos e vivenciamos tudo que Nosso Senhor Jesus Cristo fez para nos elevar até o amor do Pai, fazemos com que toda a humanidade de hoje receba o dom da vida nova que Deus nos oferece.

O Tempo da Quaresma é, para nós cristãos, um tempo de maior esforço espiritual para aumentar a comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs; é tempo também de lutar contra as escravidões físicas e espirituais, mediante uma vida de oração mais intensa, de jejuns e de penitências mais rigorosas.

O significado do nome deste tempo litúrgico vem do número 40, como tempo necessário para que aconteça uma grande mudança. É o tempo oportuno para uma preparação e uma purificação interior, como caminho de uma grande libertação espiritual, assim como ocorreu com o Povo de Israel nos 40 anos no deserto e os 40 dias em que Nosso Senhor Jesus Cristo passou no deserto em jejum intenso e em profunda oração.

Quaresma é também o tempo propício para uma escuta melhor da Palavra de Deus, para intensificar a vida de oração e para fortalecer-se espiritualmente pela penitência e pela caridade. É tempo de preparação para celebrar bem a Páscoa de Cristo em nossas vidas.

Este tempo litúrgico tem início com a celebração na Quarta-feira de Cinzas, cujo significado expressa o pó de onde o corpo humano veio e para onde ele vai após a separação da alma; mas Deus, com seu poder e amor paterno pode conceder a santidade até mesmo por meio do pó (a cinza abençoa), para dele (do pó, da cinza) gerar vida nova para o corpo e para a alma. A cinza abençoada representa a atitude de penitencia e de desejo de mudança de vida.

Tendo início na Quarta-feira de Cinzas a celebração do Mistério Pascal de Cristo atinge sua plenitude celebrativa no tríduo pascal (a Sexta-feira Santa, o Sábado Santo e o Domingo da Ressurreição do Senhor).

Queridos irmãos e irmãs em Cristo, vivamos bem a preparação quaresmal para celebrarmos e vivermos bem a Páscoa de Cristo em nós.

Acólito Vicente de Paulo da Silva

divisoria


MARIA, MÃE DE DEUS E NOSSA – A perfeita figura da Igreja

Janeiro de 2010

Jesus já existia desde os primórdios, conforme narra o início de Mateus, e Deus O enviou para viver como nós e, fundamentalmente, para nos ensinar as coisas do seu (nosso) Pai, a ponto de Ele dar a vida para a remissão de nossos pecados.

A questão seria: “Quem teria a graça de gerar o filho de Deus, de ser a mãe do Salvador?” Só havia uma pessoa, uma perfeita figura concebida sem o pecado original: a virgem de Nazaré chamada Maria, a bendita, a cheia de graça. Assim, bem jovem, Maria, muito humilde e simples, foi agraciada sendo coroada como a mãe do Filho de Deus, concebendo, virginalmente, pela ação do Espírito Santo. E ela permaneceu virgem!

“Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus”.

Maria foi um a mãe presente, a mãe do amor, e Jesus, seu filho único, foi crescendo num ambiente cheio da presença de Deus, contando também com a presença santa de José.

Após cumprir divinamente sua missão aqui na Terra, a mãe de Deus e nossa, a mãe da Igreja, foi elevada aos Céus, e está, a todo momento, a nos amparar e a interceder a Deus por nós, como nas Bodas de Caná.

Deus contou com Maria! Hoje, Ele conta conosco!

“Santa Maria, mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém!”

Autor: Fabinho – Equipe PASCOM

divisoria


ADVENTO: Tempo de graça e bênção

Dezembro de 2009

Na história da salvação, percebemos o quanto Deus ama seu povo, o quanto Ele gosta da pessoa humana, o quanto somos importantes. E, para demonstrar essa predileção por nós, Ele fez suas intervenções na história. Com isso, percebemos que, após várias comunicações de Deus com o homem, Ele decide fazer-nos uma visita enviando seu próprio Filho ao mundo. Ocorreu assim o primeiro advento, pois o evangelista Lucas, no seu capítulo 21, versículos 25 a 36, nos recorda três adventos de Cristo, a saber: o primeiro foi sua encarnação; o segundo é a visita que Jesus faz a cada um de nós pela graça; o terceiro advento de Cristo será no fim do mundo, quando Ele vier como Juiz Supremo.

O advento é, portanto, tempo de preparação, sobretudo para renovar o coração, o converter-se para tornarmos dignos de receber a visita do Messias, o Salvador que chega para dar um sentido novo à vida de cada um.

O advento é tempo de esperança vigilante, sobretudo para deitar todas as cargas negativas que o mundo atual trouxe ao quotidiano das pessoas, a esperança que permite ultrapassagem e consegue oferecer novas razões de alegria e de paz.

O advento é tempo de oração, momento forte de encontro com o Senhor, de diálogo de amor com o nosso Deus, de intimidade total que permite falar com Ele, “como um amigo fala a seu amigo” (Êxodo 33,11).

O advento será, ainda, tempo de graça, de bênção e de chegada de Jesus, que veio como irmão mais velho, para ensinar caminhos novos, e virá de novo, no fim dos tempos, para acolher a todos como iguais, filhos e filhas de Deus, na grande Festa Eterna.

Padre Antônio Carlos

divisoria

MULHER

Março de 2009

Bem aventurada a mulher que cuida do próprio perfil interior e exterior, porque a harmonia da pessoa faz mais bela a convivência humana.

Bem aventurada a mulher que, ao lado do homem, exercita a própria insubstituível responsabilidade na família, na sociedade, na história e no universo inteiro.

Bem aventurada a mulher chamada a transmitir e a guardar a vida de maneira humilde e grande.

Bem aventurada a mulher quando nela e ao redor dela acolhe, faz crescer e protege a vida.

Bem aventurada a mulher que põe a inteligência, a sensibilidade e a cultura a serviço dela, aonde ela venha a ser diminuída ou deturpada.

Bem aventurada a mulher que se empenha em promover um mundo mais justo e mais humano.

Bem aventurada a mulher que, em seu caminho, encontra Cristo: escuta-O, acolhe-O, segue-O, como tantas mulheres do evangelho, e se deixa iluminar por Ele na opção de vida.

Bem aventurada a mulher que, dia após dia, com pequenos gestos, com palavras e atenções que nascem do coração, traça sendas de esperança para a humanidade.

Parabéns, mulher, pelo seu dia!

Que nossa Mãe Maria, mulher iluminada, possa refletir em ti sua luz e derramar suas bênçãos!

Carinhosamente, PASCOM

divisoria


QUARESMA – QUARTA-FEIRA DE CINZAS

Fevereiro de 2009

Nos primeiros séculos da era cristã, perto do quarto século a Quaresma era um período de penitência e renovação interior para toda a Igreja, com a prática do jejum e da abstinência: o jejum é canonicamente imposto ainda hoje aos fiéis capacitados, na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira santa; a abstinência, todas as Sextas-feiras da Quaresma. Na liturgia, o tempo quaresmal é marcado por paramentos e vestes roxas, pela omissão do “Glória” e do “Aleluia” na celebração da missa, com seus ritos musicais bem discretos.

A Quaresma inicia na “Quarta-feira de Cinzas“. Nas celebrações deste dia, o sacerdote põe sobre a cabeça dos fiéis, que se aproximam em procissão, um pouco de cinza, dizendo: “Lembra-te que és pó e ao pó hás de voltar” (Gn 3,19), ou, como atualmente alguns preferem: “Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15).

Antigamente a imposição das cinzas era reservada apenas para os que desejassem assumir o arrependimento publicamente. Depois, a partir do século onze, o papa Urbano II, inspirado, estendeu-o a todos os cristãos. Porque todos nós somos pecadores e, a partir do recebimento das cinzas, ocorrerá a conscientização pelo arrependimento que, associado à penitência do período quaresmal, possibilita a conversão cristã total, quando sincera. As cinzas simbolizam o nada da criatura em relação a seu Criador, e são obtidas por meio da queima dos ramos de palmeiras e de oliveiras bentos no “Domingo de Ramos” do ano anterior.

A Quaresma não é apenas um ritual de tradição, é o período de fortalecimento da Igreja. Trata-se de um período de retiro espiritual para toda a Igreja, no qual a liturgia chama à conversão, ao retorno a Deus, pois, embora a Páscoa de Cristo já tenha acontecido, o cristão está ainda a caminho do Reino. Isto quer dizer, Jesus cumpriu sua missão na Terra, foi crucificado para nos salvar e retornou aos braços de Deus Pai. Mas nós, toda a humanidade, para merecermos o Reino do Pai, devemos aceitar Cristo como seu Filho, que nos enviou o Espírito Santo, só assim faremos parte do rebanho escolhido.

Por isso a Quaresma é um tempo nosso, de pessoal sinceridade e penitência, onde ocorre a libertação interior do que nos afasta da obediência à Santíssima Trindade e da caridade para com os irmãos. Na Quaresma, a Igreja peregrina é convidada a seguir o exemplo bíblico do retiro de quarenta dias vividos por Cristo, no deserto, que rejeitou a tentação de Satanás e afirmou ser o Filho de Deus. Deus é bom, é nosso Pai, e sempre nos dá oportunidade, mas nossas obras penitenciais assumem significado somente se forem sinais de participação no mistério de Cristo.

Fonte: http://www.paulinas.org.br

divisoria

2009

Janeiro de 2009

Que, neste ano, Deus nos ensine a Paz, e que estejamos todos prontos para ouvir.

Que os nossos erros não sejam o nosso fardo; mas a experiência para decisões melhores.

Que, neste ano, possamos sonhar, e acreditar, de coração, que podemos realizar cada um de nossos sonhos.

Que, neste ano de 2009, possamos viver intensamente cada momento com muita paz e esperança, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma bênção de Deus.

Glauce Rodrigues – Equipe PASCOM

divisoria


O AMOR

Dezembro de 2008

O amor é o único tesouro que se multiplica por divisão. É a única dádiva que aumenta quanto mais você a reparte… Doe amor; jogue-o a todos; esparrame-o pelo caminho que passar; esvazie seus bolsos; sacuda o cesto, vire o copo para baixo, e amanhã você terá mais do que nunca…

Desejamos que o espírito renovador do Natal perdure durante todo o Ano Novo, e que 2009, seja, decididamente, um ano santo e abençoado!

São os sinceros votos da Paróquias de São Gotardo-MG

divisoria


PERMANECEIS NO AMOR DE CRISTO

Novembro de 2008

Desde que recebi a nomeação como bispo da diocese de Patos de Minas, já comecei a amar os fiéis desta querida diocese. Cada dia estou amando mais e com desejo imenso que chegue o dia da minha posse.

Convido todos a permanecerem em oração comigo em preparação da minha ordenação e tomada de posse. Conforme o lema que escolhi para o meu episcopado, desejo que todos permaneçam no amor de Cristo.

O que me deixa muito feliz é a grande receptividade que percebo por parte de todos os fiéis da diocese, e o carinho com que se manifestam em suas mensagens. Isto causa uma alegria imensa, e gostaria de agradecer as inúmeras manifestações que tenho recebido.

Aproveito este espaço para agradecer as visitas do Administrador Diocesano Padre Geraldo Magela de Almeida, Padre Sebastião Paulino (Cura da Catedral), Padre Sebastião dos Reis (Diretor do Seminário) e Padre Ezequiel Macedo (Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário). Fiquei muito feliz com a cordial visita e pelas boas novas que trouxeram do querido povo da diocese de Patos de Minas.

Que o Senhor abençoe a todos. Paz e bem!

Monsenhor Frei Cláudio Nori Sturm – Fonte: Folha Patense (18/10/2008)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: